Resenha: O teorema Katherine


Título: O teorema Katherine (an abundance of Katherines)
Autor: John Green
Editora: Intríseca



"Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.
Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera."
    Depois que li A culpa é das estrelas, precisava urgentemente ler outro título de John Green, e logo que fiquei sabendo que a intrínseca tinha lançado esse, mau pude esperar para conferir.
Colin Singleton é um garoto prodígio de 17 anos, que já teve 19 namoradas, e todas elas -prestem bem atenção nesse ponto- todas, se chamavam Katherine, e todas terminaram com ele. Depois que a Katherine XIX termina com ele, Colin fica realmente mal. E para piorar toda a situação, ele acha que perdeu todo seu potencial(se é que já o teve algum dia), que não é mas prodígio e muito menos um gênio, embora tudo que ele queria na vida era ser importante para o mundo e, claro, ter a Katherine XIX de volta.
   Vendo-o nesse estado, seu único e melhor amigo, Hassan, o convence a levantar e propõe uma viagem para longe de tudo isso, para que ele esqueça dos problemas. Juntos, em um carro Oldsmobile cinza -conhecido como Rabecão de Satã- os dois partem sem rumo, sem roteiro ou mapa. Até que por um acaso do destino chegam à uma cidadezinha chamada Gutshot, no Tenessee.
   Lá conhecem Lindsey Lee Wells, que os leva a uma visita guiada e depois sua mãe, Hollis os convida para ficarem hospedados em sua casa (Lê-se: Mansão extremamente cor-de-rosa) e os oferece um emprego por todo aquele verão.
   Durante sua estadia na cidadezinha onde todos tem um sotaque caipira, Colin põe no papel suas recentes ideias para o que ele batizou de Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, onde tenta comprovar que consegue, por meio de gráficos e muita, muita matemática, afirmar que todos os relacionamentos são previsíveis, qual será a duração de cada caso e quem vai terminar com quem. Para isso ele usa como base, os seus 19 relacionamentos, no qual sempre era: Colin-Terminado e Katherine-Terminante.
  Entre muito humor, personagens com personalidades exclusivas e muita matemática- sem se tornar chato, como nas salas de aula- o Sr. Green nos passa uma linda lição de que o futuro é incerto, imprevisível e será sempre indecifrável, e que todos nós -prodígios os não- somos sim importantes e especiais para algo ou alguém.
"Eu serei esquecido, mas as histórias ficarão. Então, nós todos somos importantes -talvez menos do que muito, mas sempre mais do que nada."
Além de tudo, a intrínseca fez um ótimo trabalho: Capa linda, folhas amareladas e ótimo espassamento. Não vi erros, se tiveram, foram poucos que não interferiram na leitura.
Não posso deixar de comentar aqui também as notas de rodapé! Elas estão na maioria das páginas e são bem divertidas e engraçadas. Algumas contém curiosidades interessantes, e eu tive que marcar várias :)
Já leram?
Bjs,
Laila Lizzy.







Top 5: Quero na estante

                                  My Monroe.
 
Olá, pessoal!
Hoje vou postar cinco dos livros da minha lista de quero ler. E se quiserem ver meu skoob para me dar algum de presente, eu aceito, tá? Só lembrando. E ah, a ordem dos livros que eu vou postar não é necessariamente a ordem de prioridade.
 
 Louco aos Poucos"Cameron Smith tem 16 anos e foi diagnosticado com a chamada "doença da vaca louca". Ele vai morrer. Um encontro com Dulcie, uma garota-anja-punk, o convence a partir em busca da cura. De quebra, ele terá apenas de salvar o mundo. Como ajudantes, terá Gonzo, um garoto anão neurótico, e Balder, um deus viking aprisionado no corpo de um gnomo de jardim. Junte-se a eles numa viagem repleta de questões profundas - e rasas também - que mostram que a vida não passa de uma jornada psicodélica que vale a pena."
 
A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista"Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia."
 
O Lorde Supremo"Na cidade de Imardin, onde aqueles que têm magia têm poder, uma jovem garota de rua, adotada pelo Clã dos Magos, se encontra no centro de uma terrível trama que pode destruir o mundo todo. Sonea aprendeu muito no Clã, e os outros aprendizes agora a tratam com um respeito relutante.
No entanto, ela não pode esquecer o que viu na sala subterrânea do Lorde Supremo, ou seu aviso de que o antigo inimigo do reino está crescendo em poder novamente. Conforme Sonea evolui no aprendizado, começa a duvidar da palavra do mestre de seu clã. Poderia a verdade ser tão aterrorizante quanto Akkarin afirma? Ou ele está tentando enganá-la para que Sonea o ajude em algum terrível esquema sombrio?"
 
Penelope"Em um conto de fadas moderno, nós conhecemos Penelope, uma jovem de 25 anos que passou a vida inteira presa em sua própria casa, vítima de uma antiga maldição. Para se livrar do focinho de porco que cresce no lugar do seu nariz, ela precisa encontrar alguém que a ame mesmo com esse "pequeno" problema."
 
A Marca de Atena"Annabeth está apavorada. Justo quando ela está prestes a reencontrar Percy - após seis meses afastados por culpa de Hera -, o Acampamento Júpiter parece estar se preparando para o combate. A bordo do Argo II com os amigos Jason, Piper e Leo, ela não pode culpar os semideuses romanos por pensarem que o navio é uma arma de guerra grega: afinal, com um dragão de bronze fumegante como figura de proa, a fantástica criação de Leo não parece mesmo nada amigável. Annabeth só pode torcer para que os romanos vejam seu pretor Jason na embarcação e compreendam que os visitantes do Acampamento Meio-Sangue estão ali em missão de paz.
     Os problemas de Annabeth não param por aí - ela carrega no bolso um presente da mãe, que veio acompanhado de uma ordem intimidadora: Siga a Marca de Atena. Vingue-me. A guerreira já carrega nas costas o peso da profecia que mandará sete semideuses em busca das Portas da Morte. O que mais Atena poderia querer dela?
    O maior medo de Annabeth, no entanto, é que Percy tenha mudado. E se ele já estiver habituado demais aos costumes romanos? Será que ainda precisará dos velhos amigos? Como filha da deusa da guerra e da sabedoria, Annabeth sabe que nasceu para liderar; no entanto, também sabe que nunca mais vai querer viver sem o Cabeça de Alga."
Então, qual/quais já leram/quem ler?
 
Bjs,
Laila Lizzy.

 

Consumismo literário #1

Todo mês eu sempre separo um dinheirinho para pôr minha lista de livros desejados em dia. E claro que não consigo, porque a lista teima em crescer absurdamente. Mas enfim, eu tento.
Como boa leitora que se preze, não pude deixar o mês das férias passar sem que eu lesse alguns livros que eu já estava querendo a um bom tempinho. Logo, passei na livraria um dia desses e essas foram minhas compras:



 "A Seleção começou com 35 garotas. Agora restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Só uma se casará com o príncipe Maxon e será coroada princesa de Illéa. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente confusa. Os momentos que passa com Maxon parecem um conto de fadas. Quando ela está com Maxon, é arrebatada por esse novo romance de tirar o fôlego, e não consegue se imaginar com mais ninguém. Mas sempre que vê seu ex-namorado Aspen no palácio, trabalhando como guarda e se esforçando para protegê-la, ela sente que é nele que está o seu conforto, dominada pelas memórias da vida que eles planejavam ter juntos.
America precisa de mais tempo. Mas, enquanto ela está às voltas com o seu futuro, perdida em sua indecisão, o resto da Elite sabe exatamente o que quer — e ela está prestes a perder sua chance de escolher. E justo quando America tem certeza de que fez sua escolha, uma perda devastadora faz com que suas dúvidas retornem. E enquanto ela está se esforçando para decidir seu futuro, rebeldes violentos, determinados a derrubar a monarquia, estão se fortalecendo — e seus planos podem destruir as chances de qualquer final feliz."

(Terminei de ler hoje e em breve faço resenha pro blog <3)
















"Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.

Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera."















 "A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda… ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro. Quando Cricket — um inventor habilidoso — sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado."



"Livro de criança? Com certeza!
Livro de adulto também, pois todo homem traz dentro de si o menino que foi.
O pequeno Príncipe devolve a cada um o mistério da infância.De repente retorna os sonhos. Reaparece a lembrençade questionamentos, desvelam-se incoerências acomodadas, quase já imperceptíves na pressa do dia-a-dia. Voltam ao coração escondidas recordaçoes.O reencontro, o homem-menino".

Desculpem pela pouca qualidade dessa última foto, mas não achei uma boa dessa de bolso, que foi o motivo de eu ter comprado o livro. Eu ganhei um igualzinho quando tinha uns 6 anos, e alguns anos depois minha irmã menor rasgou. Imagiiiinem meu desespero. Pois é, acho que até chorei na época. Procurei em outras lojas aqui na minha cidade, mas nunca mais achei nessa versão. E quando fui na livraria fazer essas compras, achei e quase morri de alegria. O livro tem capa dura e é do tamanho da palma da mão!! Algum dia eu tiro fotos e posto para vocês verem como é fofo *-*


Resenha: A culpa é das estrelas

Título: A culpa é das estrelas (The fault in our stars)
Autor: John Green
Editora: Intríseca
A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete anos, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer -a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.

Sabe aquilo de ter receio de ler um livro apenas porque está todo mundo falando e lendo ele, a ponto
de se tornar clichê? Essa era minha opinião à respeito de A culpa é das estrelas. Não tinha a mínima vontade de lê-lo, e achava que a história era muito deprimente. Daí uma amiga minha leu e me mostrou um trecho do livro, que foi esse daqui:
 "Estou apaixonado por você e não quero me negar o simples prazer de compartilhar algo verdadeiro. Estou apaixonado por você, e sei que o amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim, e que haverá um dia em que tudo o que fizemos voltará ao pó, e sei que o sol vai engolir a única Terra que podemos chamar de nossa, e eu estou apaixonada por você".
Bem, depois disso, é claro que eu tive que pedir que ela me emprestasse.
    O livro conta a história de Hazel Grace, uma adolescente de 16 anos que tem um tipo de câncer, e vive graças a uma droga que evita a metástase nos seus pulmões. Hazel frequenta um grupo de apoio para crianças com câncer e lá ela conhece Augustus Waters (<3) que teve asteosarcoma e perdeu uma das pernas. Então tem todo um desenrolar entre os dois, a história flui com leveza, é engraçado e super divertido. O final é tão triste que eu chorei tanto a ponto de meus olhos ficarem vermelhos, e quando eu cheguei na ultima folha eu fiquei tipo: "CADÊ O RESTO??"
    John Green conseguiu me prender desde as primeiras folhas, e me deixou reflexiva durante um bom tempo após eu ter terminado a leitura. Foi difícil me despedir dos personagens, porque me apeguei a eles de verdade (é muito bobo dizer isso?) .Concordo plenamente com Markus Zusak quando ele diz: "Você vai rir, chorar e ainda vai querer mais" E reforço essa frase. E não canso de dizer que o livro é lindo. Lindo, lindo, lindo.

Tecnologia do Blogger.