O embolsador: um gesto de carinho


Vivemos em uma sociedade-relógio, em que o tempo controla a vida das pessoas. Estamos sempre às pressas, atrasados pro trabalho, compromissos, entrevistas de emprego, colégio. Andamos olhando pro chão amaldiçoando o despertador mentalmente por não ter funcionado naquele dia, fazendo as contas na cabeça de quanto deve pro banco X e listando as coisas pendentes que precisamos resolver até o final da tarde. Estou falando tudo isso, porque ainda a pouco (literalmente, porque resolvi fazer o post assim que terminei de ver) um link com um vídeo estava passando na minha timeline e por algum motivo de destino/acaso/tédio eu resolvi clicar.

Trata-se de uma campanha da Kleenex chamada "O embolsador", onde um cara (Philip Blue) sai nas ruas botando pequenas lembranças nas bolsas das mulheres ao invés de furtar alguma coisa de lá. Isso me fez pensar o quanto pequenas ações têm o poder de nos arrancar sorrisos e tornar o dia melhor. O resultado é tão emocionante e me trouxe energias tão positivas que eu precisei compartilhar com vocês <3

Sem mais delongas, assistam e tirem suas próprias conclusões {e me contem elas nos comentários, claro! haha}

     

Look do dia: Geek!



A Moda Mandita é uma daquelas lojas que vendem roupas do estilo que a gente gosta e não encontra por aí facilmente. Imagina só o paraíso: Moletons divertidos, croppeds, vestidos com estampa fofa, coturnos... Pois é. Eles me enviaram uma T-shirt Geek, e já era pra eu ter fotografado o look a algumas semanas mas foi só domingo que eu finalmente tive tempo de fazer isso. Combinei ela com um short jeans e uma  meia-calça que eu comprei e já tava louca pra botar em algum look. O coturno é o mesmo de sempre.

{Posso confessar uma coisa? Sou uma pessoa muito desastrada, e no MESMO dia que a meia chegou eu rasguei sem querer quando fui experimentar. Mas vou continuar usando até comprar outra porque enfim, eu esperei muito para tê-la haha}




T-shirt: Moda mandita
Short: Riachuelo
Coturno: Renner

Carta para mim (no futuro)


Querida Laila,

Como você está?

Provavelmente agora não lembra, mas foi você mesma quem escreveu essa carta. Calma, não se assuste, continue lendo. Ou melhor, eu sei que vai ler até o fim porque é a pessoa mais curiosa que existe. Eu te conheço como ninguém.

Ficaria muito feliz em saber que conseguiu realizar todos os sonhos que você vivia rabiscando na cadeira do colégio. De ter encontrado o amor que queria e escrito todos os textos clichês que sentia vontade. Aliás, você ainda escreve, né? Você jurava de pés juntos que nunca deixaria de fazê-lo. 

Espero que todas as dores e lágrimas da adolescência sejam lembradas agora com risos e cheirinho de nostalgia, e que você tenha finalmente aprendido que elas vieram na hora certa, para que você compreendesse que uma hora ou outra a tempestade passa, e que as lágrimas que tanto ardiam no rosto se tornaram experiências para o coração.

Será que você continua tímida, ou anda na rua dizendo bom dia para todos que cruzam seu caminho?
Ainda tem tempo pra sonhar, ou o trabalho não te permite tempo pra diversão?

Me diga: O mundo dos adultos te corrompeu? Te fez esquecer de ter brilho nos olhos e esperança de um dia conseguir tudo o que almeja? Ou não roubou a Laila que costumava dizer pras amigas que tudo ia dar certo no fim?

Por falar nisso, onde andam aquelas suas amigas que dividiram com você os momentos mais engraçados e os mais constrangedores? Por favor, diga que se lembra. Diga que a vida não as levou pra longe de você e que tem notícias delas. Que ainda se encontram e se divertem como se nunca tivessem deixado os quinze anos.

Diga também que a correria do dia-a-dia não fez você largar de reparar nos detalhes que ninguém mais vê. Que ainda gosta de comédias, que acha bonito o azul do céu, que ri no fim do dia por pior que ele tenha sido, que sabe amar e ame intensamente como achava ingenuamente que sabia fazer na adolescência. Que os ventos tenham te soprado o melhor que a vida proporciona e que você dê agora mais valor aos pais porque finalmente entendeu que todas as broncas que eles te deram quando era mais nova era porque te amavam e queriam seu bem.

Você provavelmente está diferente agora, eu entendo. Mas por mais que você não se pareça nem um pouco com o que era anos atrás, eu espero que a essência e valores continuem intactos. Ou melhor, que tenham se aprimorado.

Quero te lembrar de sempre ser forte. Quero te lembrar que só você pode mudar sua vida e é você a responsável pelo que acontece a cada amanhecer.

Não deixe de sonhar, mesmo que as prioridades tenham se invertido. Não me desaponte, Laila. 
Me faça chegar aonde você está agora, ler essa carta e sorrir ao ver que no final, tudo está bem.

Ps: Seja feliz.
Tecnologia do Blogger.